Acidente na BR 369 deixa motociclista ferida em Rolândia

Acidente na BR 369 deixa motociclista ferida em Rolândia Destaque

Na tarde desta terça - feira (08), um acidente foi registrado por volta das 12 horas na Br 369 próximo ao centro da cidade, a colisão entre um carro e uma moto deixou uma mulher com ferimentos leves. 

Ela foi socorrida por populares que passavam no local, atendida pelo SIATE e encaminhada ao Hospital São Rafael para melhores avaliações.

O condutor do veículo relatou que ao sair de uma oficina mecânica não teve visão da moto, pois o ato foi muito rápido. Nada aconteceu com ele que não precisou de atendimento médico.

manchete do povo rolandia acidente br 369 1manchete do povo rolandia acidente br 369 2manchete do povo rolandia acidente br 369 3manchete do povo rolandia acidente br 369 4manchete do povo rolandia acidente br 369 5manchete do povo rolandia acidente br 369 6manchete do povo rolandia acidente br 369 7manchete do povo rolandia acidente br 369 8manchete do povo rolandia acidente br 369 9manchete do povo rolandia acidente br 369 10manchete do povo rolandia acidente br 369 11manchete do povo rolandia acidente br 369 12manchete do povo rolandia acidente br 369 13manchete do povo rolandia acidente br 369 14

Sobre o Autor

Sou formado em Marketing & Propaganda (2004) e também em Jornalismo (2015) pela Unopar. Trabalho com Comunicação Social há mais de 15 anos e sou  proprietário do Jornal Manchete do Povo.

Itens relacionados (por tag)

  • Homem morre após queda de Moto na BR-369
    Fotos: Arapongas 190 / Rolândia 190


    Um homem de 37 anos perdeu a vida em um grave acidente de trânsito na noite desta segunda-feira (13). Marcio Cripino Alves, que seria funcionário e faria parte da equipe da dupla sertaneja de Fernando & Sorocaba, morreu em um acidente de moto registrado na BR-369, entre o município de Arapongas e Apucarana.


    Conforme uma testemunha, a vítima conduzia uma motocicleta Honda CB/Twister sentido a cidade de Arapongas, quando teria colidido em um caminhão, que cruzava a pista e não parou para prestar socorro. De acordo com amigos de Márcio, ele teria acabado de sair de sua casa, em Apucarana, e estaria indo para a cidade de Londrina, onde embarcaria em um voo direto para a cidade de Fortaleza, no Ceará, onde aconteceria o show da dupla sertaneja. 

    Socorristas do SAMU e VIAPAR foram acionados, mas quando chegaram no local, o homem já estava em óbito. De acordo com a Polícia Civil, a vítima não possuía carteira de habilitação. 

     

     

     

     

     

    Texto:e Fotos: Arapongas 190 / Rolândia 190
  • Acidente na PR 170 entre Rolândia e Jaguapitã tira vida de motociclista

    Um homem de 53 anos perdeu a vida em um grave acidente de trânsito registrado na PR-170, entre o município de Rolândia e Jaguapítã. A colisão, entre uma motocicleta e um caminhão, ocorreu por volta das 15h30 deste sábado (11), próximo ao trevo de Jaguapitã. 

    O motociclista, que morreu antes da chegada das equipes de socorro, foi identificado pelo IML (Instituto Médico Legal) como Nilson Santos da Mota. Ele seria funcionário de um posto de combustíveis e estaria com o uniforme da empresa quando o acidente aconteceu. 

    De acordo com informações repassadas pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o motociclista seguia de Prado Ferreira sentido à Jaguapitã, quando teria colidido na lateral da carreta que atravessava a pista. O motorista da carreta nada sofreu. Ele realizou teste do etilômetro, mas até o fechamento desta reportagem, a PRE não divulgou o resultado do exame. 

     

     

  • Ministério Público quer novo Julgamento de acidente que matou quatro pessoas em londrina
    O promotor Thadeu Augimeri de Goes Lima apresentou recurso à juíza da 1ª Vara Criminal de Londrina, Elisabeth Kather, para realização de um novo julgamento de Rodrigo Aparecido Martins, 26 anos, que, na madrugada do dia 2 de setembro de 2012, bateu violentamente com o Fiat Marea que conduzia contra uma árvore na esquina da Avenida Saul Elkind com a Rua Francisco Marques de Oliveira, zona norte de Londrina. Além de Rodrigo, outras cinco pessoas, incluindo uma adolescente de 15 anos, estavam no carro. Com o impacto, quatro morreram. 
     
    As vítimas foram identificadas como Maiara Cristina de Oliveira Aleixo, 20 anos, o esposo dela, Joel da Silva Aleixo, 20, que faleceram na hora, Lincoln Mateus Soares, 21, e Débora Paulino da Silva, 21. Os dois últimos ficaram internados em hospitais da cidade, mas não resistiram aos graves ferimentos. A adolescente ficou ferida, mas sobreviveu. No início de outubro, Rodrigo foi levado a júri e terminou condenado a quatro anos, dez meses e vinte dias, pena que cumprirá em regime semiaberto. Ao longo da investigação, ele não foi preso. 

    No julgamento, o Conselho de Sentença transferiu a infração de homicídio doloso (quando há intenção de matar) para culposo. Diferentemente do argumento do Ministério Público, os jurados concluíram que o acusado não fugiu. Em depoimento à polícia no dia seguinte ao acidente, Rodrigo disse não se lembrar da pessoa que o retirou do local e o levou até sua residência. Ele também confirmou que tinha ingerido três garrafas de cerveja e não conhecia nenhuma das vítimas. 

    Sobre o acidente, Rodrigo alegou que colidiu o carro contra a árvore porque teve a visão ofuscada pelo farol de um veículo que vinha em sentido contrário. Segundo o advogado Everton Santana Alves, que defende o investigado, essa foi a versão defendida desde o início do processo. "Em uma reportagem exibida por uma emissora de TV local, o Rodrigo aparece nas imagens perambulando pela região do acidente. Ele permaneceu até a chegada do Samu e da autoridade policial, o que desconfigura a hipótese de omissão de socorro", pontuou. 

    De acordo com Alves, "o condutor, em razão da gravidade do ocorrido, não tinha condições de acionar alguém para auxiliar no resgate dos feridos". Sobre o pedido do Ministério Público de anulação da decisão e remarcação de um novo júri, o advogado afirmou que "a defesa sustenta que tudo transcorreu dentro das formalidades exigidas". (Rafael Machado/Grupo Folha) 

    Alta velocidade 

    Um laudo elaborado pelo perito criminal Luciano Bucharles registrou que o Fiat Marea conduzido por Rodrigo Martins, antes do acidente, trafegava pela Avenida Saul Elkind em direção à Angelina Ricci Vezozzo em alta velocidade. Antes de atingir a árvore, o rodado esquerdo do veículo chocou-se contra o meio-fio, possibilitando o avanço sobre o canteiro central da via. 

    Segundo o Instituto de Criminalística, no momento da perda do controle do Marea Rodrigo trafegava a uma velocidade mínima de 117 km/h, 134% do nível máximo permitido no endereço, que é 50 km/h. O perito também identificou que "há farta sinalização vertical presente neste pedaço da Saul Elkind". (R.M.) 

    "Queríamos uma punição mais dura" 

    Ainda é difícil e doloroso para o pedreiro Arlindo Matozo Aleixo, 54 anos, relembrar daquele que ele considera "como uma pessoa 100%". Na madrugada do dia 2 de setembro de 2012, o filho dele, Joel da Silva Aleixo, na época com 20 anos, perdeu a vida em um grave acidente na Avenida Saul Elkind. "Sempre foi um cara bacana. Logo aos 12 anos, levei ele para aprender a ser servente, o que ajudou na formação do caráter de gente honesta. Com 15 anos, ele conseguiu uma vaga em um mercado e nunca mais parou de trabalhar", disse. 

    Em 2010, Joel e Maiara se casaram. O fruto do relacionamento chegou dois anos depois, um bebê que, na época do acidente, estava com oito meses. "Ele completa seis anos em janeiro. Hoje, tento preencher o espaço de pai deixado pelo Joel, mas é impossível ocupar esta lacuna. Pai é um só". 

    Pai de Maiara, esposa de Joel que também morreu no acidente, o consultor Oseias Correia Oliveira disse à reportagem que "a criança era a alegria" da filha, se referindo ao bebê do casal. "O pensamento dela e do Joel era cuidar da família, comprar uma casinha e crescer na vida". Ela trabalhava na empresa que promoveu a festa de confraternização. 

    "A Maiara, assim como o Joel, não conhecia o Rodrigo e nem as outras vítimas. Eles pegaram uma carona na hora. Eu fui acordado repentinamente por uma ligação do seu Arlindo. Ele me contou do acidente. Quando chegamos, vimos os dois naquela situação. O coração dói bastante quando relembro aquela cena", alegou Oliveira. 

    Os dois pais, que compareceram ao julgamento de Rodrigo Aparecido Martins no começo de outubro deste ano, defendem uma punição mais severa ao motorista. "Ele pegou quatro anos, mas não vai ficar preso. Fiquei surpreso com esta condenação leve por ele ter provocado a morte de quatro pessoas. A minha filha faleceu e deixou um bebê de oito meses". Arlindo Aleixo criticou a decisão do júri. "Precisa de um novo julgamento. Ele precisa pagar pelo que fez de uma forma justa".

    Rafael Machado
    Grupo Folha

Localização

Rua: Alfredo Moreira Filho
N°: 362
CEP: 86600-003
Rolândia - PR

Mapa

O Jornal

Manchete do Povo - Mais de 3 mil exemplares todos os sábados em mais de 140 pontos da cidade.

Contato

Telefone: (43) 3016 0201

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Fale conosco

News Letter

Receba nossas novidades por e-mail

logo-manchete-do-povo-rodape