ROLÂNDIA - Empresários são condenados por fraude em licitação municipal Divulgação

ROLÂNDIA - Empresários são condenados por fraude em licitação municipal Destaque

Dois empresários foram condenados pela Justiça por terem fraudado procedimento licitatório para contratação de serviços de desinsetização e desratização. A decisão foi proferida a partir de denúncia oferecida pela 2ª Promotoria de Justiça do Município de Rolândia

De acordo com o MPPR, em 2015, na data de abertura do pregão, os denunciados realizaram o pagamento de R$ 500 para cada um dos representantes das demais empresas participantes para que desistissem da concorrência. O acordo foi de que essas empresas deveriam apresentar propostas de valores muito altos ou não apresentar proposta alguma, o que beneficiaria os empresários denunciados. 


A proposta feita aos demais participantes foi confirmada, inclusive, por meio de conversas telefônicas gravadas por um dos representantes convidados a fraudar a licitação e que, posteriormente, delatou o ocorrido, impedindo que o processo licitatório prosseguisse.

Os dois empresários foram condenados por fraude em licitação, com detenção de dois anos e multa em valor correspondente a uma porcentagem do valor do contrato. A Justiça, no entanto, determinou substituição da pena privativa de liberdade aos empresários por duas penas restritivas de direitos: prestação pecuniária no valor que varia de um a três salários mínimos (por conta da renda mensal de cada um deles) e limitação de final de semana, em que, durante o tempo da pena, o réu deve se apresentar a cada três meses em juízo.

Fonte: Assessoria de Comunicação Ministério Público do Paraná

Sobre o Autor

Sou formado em Marketing & Propaganda (2004) e também em Jornalismo (2015) pela Unopar. Trabalho com Comunicação Social há mais de 15 anos e sou  proprietário do Jornal Manchete do Povo.

Itens relacionados (por tag)

  • Assaltantes são presos pela Polícia em Rolândia; Helicóptero auxiliou nas buscas

    Três elementos foram detidos pela Polícia Militar de Rolândia na tarde desta terça-feira (29) após praticarem um assalto a um Pet Shop no município de Cambé. O helicóptero do GRAER esteve em Rolândia auxiliando os policiais nas buscas pelos assaltantes, que estavam escondidos em uma plantação de café. 

    De acordo com a Polícia Militar (PM), os bandidos entraram no estabelecimento comercial fazendo menção de estarem armados e subtraíram cerca de R$40,00 em moedas e um saco de ração de 15kg. Ainda conforme a Polícia, os elementos estavam todos com capacete na mão para que a vítima achasse que os mesmos estivessem de moto. 

    Em seguida, os bandidos entraram em um veículo Golf e fugiram sentido a Rolândia, mas o veículo acabou a gasolina bem na entrada da cidade e ambos acabaram presos pela Polícia. 

    Foram presos Guilherme Alves Fier, de 24 anos, Yago de Jesus dos Santos, também de 24 anos e Leonardo Vagner Baranek, de 28 anos. Ambos foram reconhecidos no roubo pela vítima e encaminhados até a delegacia da Polícia Civil de Rolândia. 

    Fonte: Rolândia 190

    780338f3-41c4-4ba5-912d-1902d74055cf050607080910960cfb7c-a7d7-4bdd-88cb-eced3ccf1d53780338f3-41c4-4ba5-912d-1902d74055cf02

  • Médico é preso por homicídio cometido há 23 anos em Londrina

    Policiais do Grupo de Apoio e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) prenderam, na manhã desta segunda-feira (21) em Londrina, o médico José Carlos da Costa.

    Ele foi condenado em maio de 2010 a 15 anos de prisão pela morte do policial federal Sérgio Ferreira da Silva, durante uma briga de trânsito na avenida Ademar de Barros, zona sul da cidade, em 9 de abril de 1993. O médico fugiu do local e se apresentou à polícia dias depois. O policial deixou esposa e um filho de apenas seis meses à época.

    Como havia recorrido da decisão, o médico estava em liberdade. No entanto, depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu referendar prisões de condenados em segunda instância, o mandado de prisão foi cumprido pelo Gaeco.

    Ao ser detido, o médico passou mal e foi encaminhado ao Hospital do Coração. Ele está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e o quadro clínico inspira cuidados.

    Outro homicídio

    Não é primeira vez que José Carlos é preso acusado de provocar uma morte. Em abril de 2006, o médico endocrinologista foi detido acusado de homicídio doloso no caso da morte da vendedora Luciani Zanutto de Oliveira da Silva.

    Em julho de 2001, a vítima procurou o médico para tratar a obesidade, e ele receitou fórmulas manipuladas. Dias depois, Luciani começou a tomar diariamente cápsulas de dois frascos diferentes, entregues no consultório médico.

    Segundo a denúncia do Ministério Público, depois de dez dias de tratamento, a vítima começou a sentir sintomas como nervosismo, ansiedade, dores abdominais e insônia. Procurou o consultório, mas não conseguiu ser atendida, sendo orientada a voltar após 30 dias a contar do início do tratamento.

    O quadro de saúde foi piorando, até que Luciani foi encontrada morta em sua cama, em 3 de agosto de 2001. O laudo de necropsia do Instituto Médico Legal de Londrina apontou como causa da morte intoxicação por derivado anfetamínico (dietilpropiona).

    A 24ª Promotoria de Justiça de Londrina protocolou denúncia por homicídio doloso contra o médico e dois farmacêuticos acusados de prescrever e elaborar fórmula de emagrecimento, na 5ª Vara Criminal da Comarca, pedindo a prisão dos acusados. Somente depois de cinco anos, em abril de 2006, o responsável pelo Tribunal do Júri decretou a prisão do médico.

    Fonte:http://massanews.com/

  • FATOS E NOTAS

    Por Paulo Augusto Farina

Localização

Rua: Alfredo Moreira Filho
N°: 362
CEP: 86600-003
Rolândia - PR

Mapa

O Jornal

Manchete do Povo - Mais de 3 mil exemplares todos os sábados em mais de 140 pontos da cidade.

Contato

Telefone: (43) 3016 0201

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Fale conosco

News Letter

Receba nossas novidades por e-mail

logo-manchete-do-povo-rodape