Sucateadas, cadeias públicas são 'bomba-relógio' no Norte do Paraná

Sucateadas, cadeias públicas são 'bomba-relógio' no Norte do Paraná Destaque

 

Superlotação, falta de higiene e fugas constantes. Esta é o realidade de grande parte das cadeias públicas do Norte do Paraná. Apesar de serem construídas para abrigarem apenas presos provisórios, quase 10 mil detentos estão instalados em cadeias públicas ao redor do Estado, número muito maior que o ideal. Deste número, cerca de 70% são provisórios, com quase 3 mil já condenados. Os dados são da Secretária de Estado de Segurança Pública (Sesp). 

A situação atrapalha a rotina de trabalho, principalmente de policiais civis que ficam com a responsabilidade de vigiar os detentos e acabam sofrendo desvio de funções. 

Em Rolândia, são 97 detentos em um local com capacidade para 48. Segundo o delegado Bruno Silva Rocha, a situação é insustentável para os profissionais. "Os investigadores não têm treinamento para exercer essa função. Aqui, nós temos um terço do que seria necessário para a investigação e ainda preciso deslocar um efetivo grande para cuidar dos detentos."

De acordo com o delegado, a presença dos detentos que já foram julgados fazem das cadeias uma bomba relógio para o Estado. "A grande maioria já foi julgada, condenada, eles estão aqui de forma ilegal. Sem esses presos, ficaríamos com um terço dos detentos que abrigamos hoje. Seria o ideal." 

Outra cidade que vive situação semelhante é Maringá. No começo deste mês, após fazerem um agente refém, 18 detentos fugiram pelo teto do local. No momento da fuga, havia 80 detentos na cadeia. A capacidade é para 16. 

Os problemas se repetem. Em Ibiporã, são 155 detentos espremidos em um espaço para 35. Segundo o delegado Vitor Dutra de Oliveira, além da superlotação, os policias enfrentam dificuldades para controlar os detentos, devido à proximidade da cadeia com a rua. 
A proximidade facilita a aproximação de pessoas. Que jogam celulares para dentro das celas. 

O delegado também sofre com a falta de servidores. "São cerca de dez funcionários, é muito pouco para uma cadeia com 155 detentos. Ainda temos de cuidar do atendimento da população e das investigações". 

Em Cambé, a capacidade é para abrigar 40 detentos, contudo, atualmente há 200 no local. A cidade sofreu uma das maiores fugas deste ano registradas no Paraná. Foram 31 detentos que cavaram um buraco e conseguiram fugir do local. Apenas três foram recapturados. 


Bruno Passadore/DPPR/Divulgação
Bruno Passadore/DPPR/Divulgação

Soluções 

A solução para o problema das cadeias públicas do Estado passa pela construção de novas cadeias e pelo desafogamento dos profissionais que atuam nesses locais. "É muita gente. O ideal seria não termos chegado nessa superlotação. Mas, agora, precisamos construir novos locais para esses presos provisórios se instalarem", relata Vitor Dutra. 

Bruno Silva, delegado de Rolândia, vai além e cita os problemas financeiros das delegacias. "As vezes temos de passar os nossos próprios recursos para a manutenção do local. Isso não poderia acontecer. Além disso, a contratação de um efetivo maior também seria importante para resolver a médio prazo a situação." 

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen), para saber as soluções que estão sendo pensadas para os problemas apontadas na reportagem, porém, até o fechamento deste texto, não obteve resposta.

Sobre o Autor

Sou formado em Marketing & Propaganda (2004) e também em Jornalismo (2015) pela Unopar. Trabalho com Comunicação Social há mais de 15 anos e sou  proprietário do Jornal Manchete do Povo.

Itens relacionados (por tag)

  • Drogas, armas, dinheiro, latrocida e traficantes são presos em operação policial

     Polícia Civil e Militar da cidade, juntamente com o DENARC, e com apoio de policiais da região em um efetivo de quase 70 homens realizaram diversas prisões de suspeitos e apreensões de drogas, armas, munição e dinheiro na madrugada desta quinta (07)

  • Homem é espancado e fica em estado grave em Rolândia

    Um homem foi vítima de uma tentativa de homicídio na noite desta quinta-feira (23), em Rolândia. Rodrigo Vicente, de 34 anos, foi espancado com vários golpes de barra de ferro na região de crânio, na rua Antônio Pedro dos Santos, no parque Industrial Monte Sinai (saída para Arapongas). O autor das agressões, foi preso nas proximidades por uma equipe da Polícia Militar e identificado como Tiago dos Santos de Andrade, de 28 anos. 

    De acordo com a Polícia, o suspeito assumiu a autoria do crime e disse que havia cobrado uma dívida de R$20,00 da vítima. A esposa do homem espancado, presenciou o fato, acionou a Polícia e indicou quem seria o autor. Devido a gravidade dos ferimentos, os socorristas do SAMU tiveram que solicitar o apoio da ambulância de suporte avançado, com o médico, para estabilizar a vítima. O homem foi encaminhado, em código 03, com urgência, para o Hospital Evangélico de Londrina. De acordo com o SAMU, ele sofreu um TCE (Traumatismo Craniano) e apresentava várias escoriações pelo corpo. 


    A barra de ferro, utilizada na tentativa de homicídio, foi apreendida pela Polícia e encaminhada juntamente com o autor para a delegacia da Polícia Civil. O suspeito informou que reside na cidade de Arapongas e que é usuário de crack.


     

     

     

     

     

    Texto e fotos: Portal Rolândia 190
  • Trio é preso com drogas no centro de Rolândia

    rês pessoas foram presas com drogas após um intenso acompanhamento tático, em Rolândia. Nesta quinta-feira (23), a Polícia Militar recebeu denúncias anônimas, informando que um Vectra estaria vindo da cidade de Arapongas com drogas. Equipes do serviço reservado (P2), com o apoio da ROTAM e Rádio Patrulha, montaram um bloqueio nas proximidades do pedágio para tentar abordar o veículo informado pelas denúncias.

    De acordo com a Polícia, o veículo furou o bloqueio policial e quase atropelou os policiais. Em seguida, os suspeitos fugiram sentido ao centro da cidade e após uma intensa perseguição policial, o veículo foi abordado na avenida Presidente Bernardes, no cruzamento com a rua Duque de Caxias, próximo a Prefeitura. 


    O condutor do veículo foi identificado como Diego Miguel Perciliano, de 27 anos. Junto com ele, estavam mais duas pessoas, que foram identificadas pela polícia como Talita Alexandra Cardoso, de 28 anos e Bruno Amaral de Lima, de 21 anos. Conforme a PM, os ocupantes do veículo teriam dispensado cerca de 185 gramas de cocaína, fracionada em quatro partes. Todos foram encaminhados à delegacia e poderão ser autuados pelo crime de tráfico de drogas. O condutor do veículo poderá responder pelo crime de direção perigosa.


    Fotos e texto: Portal Rolândia 190

     

     

Localização

Rua: Alfredo Moreira Filho
N°: 362
CEP: 86600-003
Rolândia - PR

Mapa

O Jornal

Manchete do Povo - Mais de 3 mil exemplares todos os sábados em mais de 140 pontos da cidade.

Contato

Telefone: (43) 3016 0201

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Fale conosco

News Letter

Receba nossas novidades por e-mail

logo-manchete-do-povo-rodape