Que eles prestem contas

Que eles prestem contas Destaque

Esse é o resultado de não valorizar os verdadeiros parceiros da Oktoberfest de Rolândia...#devolvaafestaparaosalemaes

Quero saber agora da prestação de contas!!!!

A prefeitura até que ajudou um pouco com a estrutura, banheiros, mas se não fossem os grupos folclóricos, o pessoal do chopp em metro, a equipe da Dona Ada no restaurante e algumas das poucas pessoas que ainda resistem, essa festa já teria acabado de vez. O que não seria de todo um mal, já que gastar dinheiro público em coisa ruim não é um exemplo de boa administração.

Quem assumiu não tem a mínima condição de tocar um evento desse porte, e ainda dá ouvidos para pessoas que fazem intrigas, pouco se importando com o que é verdade.

Ano passado escrevi nesta coluna um texto afirmando que, se não fossem os grupos, o chopp em metro, a Dona Ada, a banda Meninos de Ouro, a Oktober, por melhor que fosse não passaria de uma excelente quermesse. (Nada contra quermesses, até gosto)

Bastou isso para que um mexeriqueiro metido a repórter calça curta, sem formação profissional na área fizesse intriga com a diretoria. Eis que no mesmo dia os dois diretores da festa viraram as costas para mim e me isolaram. Então eu pensei que talvez eles não soubessem interpretar texto, mas depois descobri que foi mesmo intriga da Maria janeleira.

Eu trabalho na Oktober desde meus 16 anos de idade filmando e fotografando. Com o jornal sempre dei muito mais que recebi. Nos últimos três anos fizemos as edições especiais do Manchete do Povo sem cobrar um centavo.

E sabe o que eles fizeram esse ano? Pagaram mídia de fora e deram exclusividade para a tal mexiriqueira. Taí o resultado, divulgação zero.

Só para você ter uma ideia vou passar algumas situações comentadas nos bastidores. Ano passado, no concurso dos lenhadores o organizador teve que tirar dinheiro do bolso, e por essas o outras, esse ano não teve o concurso.

No chopp em metro, mal deram o chopp para o concurso, a rainha da festa é uma menina de fora da cidade que ganhou com ares de dúvidas já que a organizadora do desfile também era de fora e... (Melhor não me aprofundar muito).

Os grupos folclóricos não recebem o devido respeito e reconhecimento, e assim vai caminhando a nossa Oktober, uma festa que é nossa e não de meia dúzia que se acham os donos da cocada.

Há três anos, quando esta diretoria assumiu a festa muitos criticaram, mas eu saí em defesa, pois ele foi o único que colou o CNPJ na roda. Porém se esqueceu que a festa se faz junto com a comunidade, e o rei cresceu na barriga.

Devemos reconhecer o trabalho de quem se empenhou, mas a grande verdade é que ano que vem a comunidade alemã, os grupos, e as pessoas que realmente entendem da tradição devem requerer formalmente a festa de volta.

Para quem não sabe, a Oktoberfest de Rolândia foi declarada patrimônio cultural da cidade, portanto pertence ao município e não pode mais ser privatizada para uma instituição. O contrato de concessão para essa diretoria tinha três anos de validade e esse ano foi o último. Então o que deve acontecer é... ou a prefeitura assume, ou passa para uma comissão que sabe o que fazer, ou então para de uma vez. O que não dá mais é ficar gastando dinheiro público para inflar o ego de poucos.

A MaiFest Rolândia que teve a sua primeira edição ano passado já começou passando anos luz a Oktober. Tanto que a grande maioria do que foi feito esse ano foi tirado de exemplo da MaiFest Rolândia do ano passado. O Rotkappen Rolândia deu um show de organização e um banho de cultura. Com certeza essa sim é uma festa que representa a cultura em nossa cidade feita por quem é apaixonado por Rolândia.

A quem diga que a diretoria deveria ser composta novamente pelo Lions, Maçonaria, Rotary, Acir e outras instituições sérias. Eu também acho que seria bom, mas sei que eles não querem mais. Estas instituições não querem mais ter os seus nomes relacionados a uma marca falida.

Para se ter uma ideia, em apenas um evento que qualquer um destes clubes de serviço fazem em apenas um dia, como na constelada do Rotary ou o Almoço Alemão do Lion, rende mais dinheiro para obras sociais do que 10 dias de Oktober. Sem usar recursos públicos para isso, e após o evento ainda prestam contas para quem quiser saber, pois não tem o que esconder.

Talvez a solução seria devolver para a igreja Luterana, mas sei que eles também não querem mais.

O que deve ser cobrado agora é a prestação de contas da Oktoberfest, pois teve ajuda da prefeitura. Foi gasto dinheiro público e por menor que seja deve ser prestado conta.

Sobre o Autor

Sou formado em Marketing & Propaganda (2004) e também em Jornalismo (2015) pela Unopar. Trabalho com Comunicação Social há mais de 15 anos e sou  proprietário do Jornal Manchete do Povo.

Itens relacionados (por tag)

  • Aleluia!

    Parece que a gestão do atual prefeito está desenterrando antigas promessas de outras administrações e confesso aqui que se sair mesmo o que está no papel, darei minha mão à palmatória.

    Semana passada foi assinada a liberação da obra na BR 369, lugar onde já morreram dezenas de pessoas por falta de uma bendita barreira dividindo a pista.

    Agora essa semana foi anunciada a liberação para o início das obras da trincheira do trem. Fruto do trabalho de anos que vem sido feito por deputados e ex-prefeitos, mas que agora de fato será concretizado.

    A atual administração viabilizou o pagamento de indenizações milionárias, e justas, aos proprietários dos terrenos onde será construída a trincheira. E se de fato se cumprir o prometido as obras devem começar no mês que vem.

    Outra obra na ponta da agulha é a revitalização da malha asfáltica da cidade, que já venceu faz tempo. Buracos em ruas que mais parecem carreadores brotam pelos bairros e após as chuvas se multiplicam como coelhos.

    Já foi noticiado que um recurso vultuoso está liberado e as obras de recape deve começar a qualquer momento. Já não é sem tempo e a população ansiosa agradece.

    Na saúde a construção de dois hospitais prometem dar maior qualidade no atendimento aos rolandenses. Os terrenos já foram regularizados e as obras são mais uma promessa assinada que deve iniciar no próximo ano.

    Por enquanto aguardamos os resultados na prática e continuamos torcendo para que tudo isso se materialize. Independente de partido e posição política devemos torcer pelo melhor, da minha parte cabe mais um voto de confiança.

    Mas, continuamos de olho nos prazos e promessas, que se não saírem do papel de nada vai servir para a população.

  • Politicamente é um s... Ops, não pode mais falar ou escrever, tem que fingir!

    Há algum tempo, minha coluna falava sobre o politicamente correto e fui alvo de crítica na câmara de vereadores. Mas a cada dia está pior, e os temas do politicamente correto só crescem. Não podemos falar de mais nada, tudo é homofobia, preconceito!

    Está um saco viver nessa sociedade. Como disse um pastor que admiro demais: “Está uma bagunça. Sodoma e Gomorra perderam feio para os dias de hoje”! Meia dúzia de pessoas revoltadas quer impor à toda sociedade a libertinagem, o pode tudo, libera geral. A forma como fui criada até hoje eles querem colocar como errado e até mesmo como crime.

    É tanto assunto variado que não consigo nem centralizar um. É mídia tentando enfiar goela abaixo a homossexualidade, é gente que acha que é artista querendo esfregar na cara de todos o nudismo, a esquerda querendo liberar sexo para todas as idades, ou seja, querem que tudo seja normal, libera tudo.

    Meu marido reagiu a uma postagem das redes sociais essa semana e nem mesmo os “esquerdopatas” conseguiram responder. A postagem se referia à prisão de um rapaz que abusara sexualmente de uma mulher no ônibus. Ele então reagiu de forma sarcástica. “Não tem que prender ele não, deixa livre. A moda agora não é liberar tudo? Sou obrigado a passear com minha família no parque e ver gente pelada na rua, o Juiz disse que não era crime um rapaz ejacular na cara de uma moça no ônibus, fazer uma roda e girar um com o dedo no ânus do outro é arte. Então pra que prender, libera o cara. Libera tudo, não é isso que vocês querem?” Ninguém mais respondeu, acabou a discussão.

    Passou da hora das igrejas se levantarem e acabarem com essa zorra. Não é uma minoria sem escrúpulos que vai impor a bagunça. Homem é homem e mulher é mulher. Quer ser? Ótimo! Mas não nos obrigue a ser também e nem querer inverter que os errados somos nós. Como diz meu marido, um homem pode até virar mulher, mas vai para o resto da vida ter que fazer exame de próstata e ponto. É biológico. Vai continuar cromossomo XY.

    Vamos nos levantar e nos defender. Que Deus nos dê força para lutar porque vamos precisar!

    e6f2db0c-8b8d-4a40-b3e4-05dd627f272a

  • Desinformar para conquistar

    Mais uma vez venho aqui falar sobre a responsabilidade em divulgar as informações que vemos nas redes sociais. Essa responsabilidade é muito maior quando se trata de um veículo de comunicação. Essa semana uma mídia divulgou que o hospital que virá para Rolândia seria construído em um terreno ao lado da estação de tratamento de esgoto da cidade.

    Tecendo diversas críticas e polemizando o tema formou-se um cavalo de batalha sobre o assunto. De fato, é uma informação preocupante, imagine então um hospital ao lado de esgoto!

    É mesmo uma prerrogativa da imprensa investigar e cobrar explicações sobre questões de relevância social. Porém, a referida “reportagem” se esqueceu, ou preferiu omitir, a informação de que a própria Sanepar já teria em seu plano diretor projeto para desativação da estação.

    Quando essa omissão acontece, o que era para ser um serviço para a comunidade se torna um desserviço, pois fica evidente o objetivo de confundir e enganar a opinião pública com clara intenção oposicionista politiqueira.

    Isso é um exemplo típico da política do mal, e revela o desejo de que a vinda desse hospital não aconteça. Comportamento típico de uma oposição burra e rancorosa que torce pelo pior pensando que assim soma-se pontos para uma futura candidatura.

    A cobrança deve ser feita de forma veemente e aqueles que detém o poder têm a obrigação de se explicar e responderem quando questionados, porém, usar a mídia para causar pânico e torcer pelo fracasso de projetos que beneficiarão milhares de pessoas é no mínimo um ato que deve ser repudiado pela sociedade.

    O eleitor deveria ter repulsa de pessoas que ainda utilizam dessa estratégia maquiavélica como forma de derrubar o oponente com a intenção de tomar o poder. Lamentável que ainda existam jornalistas que se prestem a esse papel.

Localização

Rua: Alfredo Moreira Filho
N°: 362
CEP: 86600-003
Rolândia - PR

Mapa

O Jornal

Manchete do Povo - Mais de 3 mil exemplares todos os sábados em mais de 140 pontos da cidade.

Contato

Telefone: (43) 3016 0201

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Fale conosco

News Letter

Receba nossas novidades por e-mail

logo-manchete-do-povo-rodape