Rodrigo Stutz

Rodrigo Stutz

Sou formado em Marketing & Propaganda (2004) e também em Jornalismo (2015) pela Unopar. Trabalho com Comunicação Social há mais de 15 anos e sou  proprietário do Jornal Manchete do Povo.

Ajudante de Eletricista;

- Consultor de Vendas;

Costureira de Máquinas Industriais;

Empacotador, a Mão (PCD);

Mecânico de Autos;

- Operador de Caixa (PCD);

- Operador de Caldeira;

- Preparador Físico (ESTÁGIO);

- Soldador;

Torneiro Mecânico;

Técnico de Apoio ao Usuário de Informática (HELPDESK);

- Técnico de Enfermagem.



Agência do Trabalhador de Rolândia

Avenida Expedicionários, 604 - Telefone: 3255-1118
Horário de atendimento das 08h as 14h.

Um homem de 53 anos perdeu a vida em um grave acidente de trânsito registrado na PR-170, entre o município de Rolândia e Jaguapítã. A colisão, entre uma motocicleta e um caminhão, ocorreu por volta das 15h30 deste sábado (11), próximo ao trevo de Jaguapitã. 

O motociclista, que morreu antes da chegada das equipes de socorro, foi identificado pelo IML (Instituto Médico Legal) como Nilson Santos da Mota. Ele seria funcionário de um posto de combustíveis e estaria com o uniforme da empresa quando o acidente aconteceu. 

De acordo com informações repassadas pela Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o motociclista seguia de Prado Ferreira sentido à Jaguapitã, quando teria colidido na lateral da carreta que atravessava a pista. O motorista da carreta nada sofreu. Ele realizou teste do etilômetro, mas até o fechamento desta reportagem, a PRE não divulgou o resultado do exame. 

 

 


Um ladrão invadiu uma igreja e tentou roubar os fieis durante o culto, em Rolândia. O fato ocorreu na noite deste Domingo (12), no jardim Novo Horizonte. Uma viatura da Polícia Militar realizava patrulhamento pela rua Margaridas e se deparou com uma gritaria que vinha da igreja adventista. Os policiais entraram na igreja e se depararam com um homem contido pelos membros.

Conforme a PM, Luciano Sandin Vieira, de 42 anos, teria atrapalhado o culto, danificado a porta da igreja e ameaçado os fieis com um canivete e um simulacro de arma de fogo. Em seguida, o ladrão começou a exigir que os frequentadores da igreja lhe entregassem as carteiras e pertences de valores. O bandido ameaçava a todo momento de "enfiar a faca na barriga das crianças" que estavam assistindo o culto.

Os irmãos da igreja teriam percebido que a suposta arma escondida por de baixo da camiseta do ladrão seria falsa e o conterão até a chegada da Polícia. Luciano já tem outras passagens pelo crime de roubo e recebeu novamente voz de prisão pelo mesmo crime. Ele foi encaminhado até a delegacia da Polícia Civil de Rolândia para serem tomadas as providências cabíveis.  

 ✅BPRv/2ª Cia/Rotam


↘Data: 12/11/2017
↘ Abordagem de veículo suspeito.
↘Local: defronte ao PRV Rolandia.
↘Horário: 23h21min
↘ CB Marcelo/Cb Hilario


Resumo:
Em frente ao PPrv Rolandia foi dado voz de abordagem ao veículo ônibus, da empresa Garcia, linha Loanda a Camponas SP, o qual obedeceu, vindo a equipe a realizar a vistoria nas bolsas, sendo encontrada no interior de duas bolsas substância análoga à maconha, sendo identificada como proprietária das bolsas uma moça de 21 anos de idade, a quem recebeu voz de prisão sendo encaminhado à Delegacia de Polícia para a lavratura dos APF.
BOU 2017/1320806;
Totalizando 59 quilos 500g da citada droga!

materia 59KG Maconha PRE Manchetedopovo 1materia 59KG Maconha PRE Manchetedopovo 2

 

 

O promotor Thadeu Augimeri de Goes Lima apresentou recurso à juíza da 1ª Vara Criminal de Londrina, Elisabeth Kather, para realização de um novo julgamento de Rodrigo Aparecido Martins, 26 anos, que, na madrugada do dia 2 de setembro de 2012, bateu violentamente com o Fiat Marea que conduzia contra uma árvore na esquina da Avenida Saul Elkind com a Rua Francisco Marques de Oliveira, zona norte de Londrina. Além de Rodrigo, outras cinco pessoas, incluindo uma adolescente de 15 anos, estavam no carro. Com o impacto, quatro morreram. 
 
As vítimas foram identificadas como Maiara Cristina de Oliveira Aleixo, 20 anos, o esposo dela, Joel da Silva Aleixo, 20, que faleceram na hora, Lincoln Mateus Soares, 21, e Débora Paulino da Silva, 21. Os dois últimos ficaram internados em hospitais da cidade, mas não resistiram aos graves ferimentos. A adolescente ficou ferida, mas sobreviveu. No início de outubro, Rodrigo foi levado a júri e terminou condenado a quatro anos, dez meses e vinte dias, pena que cumprirá em regime semiaberto. Ao longo da investigação, ele não foi preso. 

No julgamento, o Conselho de Sentença transferiu a infração de homicídio doloso (quando há intenção de matar) para culposo. Diferentemente do argumento do Ministério Público, os jurados concluíram que o acusado não fugiu. Em depoimento à polícia no dia seguinte ao acidente, Rodrigo disse não se lembrar da pessoa que o retirou do local e o levou até sua residência. Ele também confirmou que tinha ingerido três garrafas de cerveja e não conhecia nenhuma das vítimas. 

Sobre o acidente, Rodrigo alegou que colidiu o carro contra a árvore porque teve a visão ofuscada pelo farol de um veículo que vinha em sentido contrário. Segundo o advogado Everton Santana Alves, que defende o investigado, essa foi a versão defendida desde o início do processo. "Em uma reportagem exibida por uma emissora de TV local, o Rodrigo aparece nas imagens perambulando pela região do acidente. Ele permaneceu até a chegada do Samu e da autoridade policial, o que desconfigura a hipótese de omissão de socorro", pontuou. 

De acordo com Alves, "o condutor, em razão da gravidade do ocorrido, não tinha condições de acionar alguém para auxiliar no resgate dos feridos". Sobre o pedido do Ministério Público de anulação da decisão e remarcação de um novo júri, o advogado afirmou que "a defesa sustenta que tudo transcorreu dentro das formalidades exigidas". (Rafael Machado/Grupo Folha) 

Alta velocidade 

Um laudo elaborado pelo perito criminal Luciano Bucharles registrou que o Fiat Marea conduzido por Rodrigo Martins, antes do acidente, trafegava pela Avenida Saul Elkind em direção à Angelina Ricci Vezozzo em alta velocidade. Antes de atingir a árvore, o rodado esquerdo do veículo chocou-se contra o meio-fio, possibilitando o avanço sobre o canteiro central da via. 

Segundo o Instituto de Criminalística, no momento da perda do controle do Marea Rodrigo trafegava a uma velocidade mínima de 117 km/h, 134% do nível máximo permitido no endereço, que é 50 km/h. O perito também identificou que "há farta sinalização vertical presente neste pedaço da Saul Elkind". (R.M.) 

"Queríamos uma punição mais dura" 

Ainda é difícil e doloroso para o pedreiro Arlindo Matozo Aleixo, 54 anos, relembrar daquele que ele considera "como uma pessoa 100%". Na madrugada do dia 2 de setembro de 2012, o filho dele, Joel da Silva Aleixo, na época com 20 anos, perdeu a vida em um grave acidente na Avenida Saul Elkind. "Sempre foi um cara bacana. Logo aos 12 anos, levei ele para aprender a ser servente, o que ajudou na formação do caráter de gente honesta. Com 15 anos, ele conseguiu uma vaga em um mercado e nunca mais parou de trabalhar", disse. 

Em 2010, Joel e Maiara se casaram. O fruto do relacionamento chegou dois anos depois, um bebê que, na época do acidente, estava com oito meses. "Ele completa seis anos em janeiro. Hoje, tento preencher o espaço de pai deixado pelo Joel, mas é impossível ocupar esta lacuna. Pai é um só". 

Pai de Maiara, esposa de Joel que também morreu no acidente, o consultor Oseias Correia Oliveira disse à reportagem que "a criança era a alegria" da filha, se referindo ao bebê do casal. "O pensamento dela e do Joel era cuidar da família, comprar uma casinha e crescer na vida". Ela trabalhava na empresa que promoveu a festa de confraternização. 

"A Maiara, assim como o Joel, não conhecia o Rodrigo e nem as outras vítimas. Eles pegaram uma carona na hora. Eu fui acordado repentinamente por uma ligação do seu Arlindo. Ele me contou do acidente. Quando chegamos, vimos os dois naquela situação. O coração dói bastante quando relembro aquela cena", alegou Oliveira. 

Os dois pais, que compareceram ao julgamento de Rodrigo Aparecido Martins no começo de outubro deste ano, defendem uma punição mais severa ao motorista. "Ele pegou quatro anos, mas não vai ficar preso. Fiquei surpreso com esta condenação leve por ele ter provocado a morte de quatro pessoas. A minha filha faleceu e deixou um bebê de oito meses". Arlindo Aleixo criticou a decisão do júri. "Precisa de um novo julgamento. Ele precisa pagar pelo que fez de uma forma justa".

Rafael Machado
Grupo Folha
Segunda, 13 Novembro 2017 10:46

Lions promove Feira da saúde

O Lions Clube de Rolândia realizou neste sábado uma ação de prevenção que atendeu centenas de pessoas com os mais variados exames, dando assim mais uma contribuição para o bem-estar e qualidade de vida da comunidade rolandense

Um veículo furtado foi encontrado em estado de abandono em uma propriedade rural na Avenida Saul Elkind em Londrina, neste domingo (12/11).

De acordo com as informações, o veículo CHEVROLET/CORSA HATCH de cor vermelho, foi localizado sem as rodas.

O furto aconteceu no último sábado (11/11), por volta das 15h00, na Rua Jacarezinho no Jardim Silvino.

Fonte: Portal Cambé 

Segunda, 13 Novembro 2017 10:03

Nova lei trabalhista entra em vigor

Há alterações em pontos como férias, jornada de trabalho, remuneração e plano de carreira. Mudanças valerão para todos os contratos de trabalho vigentes, tanto antigos como novos.

Quatro meses após ser sancionada pelo presidente Michel Temer, entra em vigor no sábado (11) a nova lei trabalhista, que traz mudanças na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). As novas regras valerão para todos os contratos de trabalho vigentes, tanto antigos como novos, segundo o Ministério do Trabalho.

As alterações mexem em pontos como férias, jornada, remuneração e plano de carreira, além de implantar e regulamentar novas modalidades de trabalho, como o home office (trabalho remoto) e o trabalho intermitente (por período trabalhado).

O projeto engloba ainda mudanças nos processos trabalhistas e no papel dos sindicatos, tornando mais rigoroso o questionamento de direitos trabalhistas na Justiça e retirando a obrigatoriedade de pagar a contribuição sindical.

A nova lei não altera, no entanto, questões relacionadas ao salário mínimo, 13º salário, seguro-desemprego, benefícios previdenciários, licença-maternidade e normas relativas à segurança e saúde do trabalhador.

Alguns pontos da nova lei poderão ser colocados em prática imediatamente, a partir deste sábado. Um deles é que o período que o empregado gasta no trajeto de casa até o trabalho em transporte oferecido pela empresa, que não será mais computado na jornada.

Outras mudanças previstas precisarão ser negociadas entre trabalhadores e empresas, seja individualmente ou por meio dos sindicatos, como férias e banco de horas.

A nova legislação não vale para contratos que não são regidos pela CLT e têm contratação à parte que, segundo o Ministério do Trabalho, são específicos e cerca de 1% do total, como os servidores públicos e autônomos.

Veja abaixo os principais pontos da CLT que mudarão com a nova lei:

Acordo coletivo

Convenções e acordos coletivos prevalecerão sobre a legislação em pontos como jornada de trabalho, intervalo, plano de carreira, home office, licença maternidade e paternidade, trabalho intermitente e remuneração por produtividade.

Férias

Trabalhador de qualquer idade poderá tirar até três férias por ano, desde que um dos períodos seja maior que 14 dias e os outros dois tenham, no mínimo, 5 dias cada um. As férias não poderão mais começar nos dois dias que antecedem um feriado ou nos dias de descanso semanal, geralmente aos sábados e domingos.

Contribuição sindical

O pagamento da contribuição sindical, que equivale a um dia de trabalho, não será mais obrigatório. O desconto dessa contribuição se dava no salário de março e era paga em abril.

Homologação

A homologação da rescisão de contrato de trabalho poderá ser feita na empresa, acabando com a obrigatoriedade de ocorrer nos sindicatos ou nas Superintendências Regionais do Trabalho.

Jornada 12x36

Será permitida a jornada em um único dia de até 12 horas, seguida de descanso de 36 horas, para todas as categorias, desde que haja acordo entre o empregador e o funcionário.

Jornada parcial

Os contratos de trabalho poderão prever jornada de até 30 horas semanais, sem possibilidade de horas extras, ou até 26 horas, com até 6 horas extras, pagas com acréscimo de 50%.

Intervalo

O intervalo dentro da jornada de trabalho poderá ser negociado, desde que tenha pelo menos 30 minutos em jornadas superiores a 6 horas.

Banco de horas

A compensação das horas extras em outro dia de trabalho ou por meio de folgas poderá ser negociada entre empresa e empregado, desde que ocorra no período máximo de seis meses. O empregador que deixar de dar as folgas no prazo terá de pagar as horas extras, com acréscimo de 50%.

Higiene e troca de uniforme

A empresa não precisará mais computar dentro da jornada as atividades de descanso, lanche, interação com colegas, higiene pessoal, troca de uniforme, tempo gasto no trajeto ou período que o empregado buscar proteção na empresa em caso de enchentes ou violência nas ruas, por exemplo.

Trabalho intermitente

A nova lei prevê o trabalho intermitente, que é pago por período trabalhado. Quem trabalhar nessas condições terá férias, FGTS, previdência e 13º salário proporcionais. O trabalhador receberá o chamado salário-hora, que não poderá ser inferior ao mínimo nem ao dos profissionais que exerçam a mesma função na empresa.

Home office

No home office ou teletrabalho, não haverá controle de jornada, e a remuneração será por tarefa. No contrato de trabalho deverão constar as atividades desempenhadas, regras para equipamentos e responsabilidades pelas despesas. O comparecimento às dependências do empregador para a realização de atividades especificas não descaracteriza o home office.

Demissão consensual

Haverá a possibilidade de acordo na rescisão de contrato, com pagamento de metade do aviso prévio e da multa de 40% sobre o FGTS. O empregado poderá ainda movimentar até 80% do valor depositado na conta do FGTS. No entanto, não terá direito ao seguro-desemprego.

Gorjetas e comissões

Comissões, gratificações, percentagens, gorjetas, prêmios, ajuda de custo como auxílio-alimentação, diárias para viagem e abonos não precisam mais integrar os salários e, consequentemente, não incidirão sobre o cálculo dos encargos trabalhistas e previdenciários, como FGTS e INSS.

Remuneração por produtividade

O pagamento do piso ou salário mínimo não será obrigatório na remuneração por produtividade, e trabalhadores e empresas poderão negociar todas as formas de remuneração que não precisam fazer parte do salário.

Plano de carreira

O plano de carreira poderá ser negociado entre patrões e funcionários sem necessidade de homologação nem registro em contrato, podendo ser mudado constantemente, mas somente para quem recebe salário mensal igual ou superior a duas vezes o limite máximo dos benefícios do INSS (R$ 11.062,62).

O recurso da arbitragem poderá ser usado para solucionar conflitos entre os empregadores e os funcionários que recebem esse valor. Já para quem ganha menos que R$ 11.062,62, o plano de cargos e salários continuará a ser negociado por meio dos sindicatos.

Equiparação salarial

A equiparação salarial poderá ser pedida quando trabalho é prestado para o mesmo estabelecimento, ou seja, empregados que exercem a mesma função mas recebem salários diferentes não poderão pedir a equiparação quando trabalharem em empresas diferentes dentro do mesmo grupo econômico. Não haverá ainda possibilidade de fazer o pedido argumentando que um colega conseguiu a equiparação via judicial.

Ações na Justiça

O trabalhador que faltar a audiências ou perder ação na Justiça terá de pagar custas processuais e honorários da parte contrária. Haverá multa e pagamento de indenização se o juiz entender que ele agiu de má-fé. No caso de ações por danos morais, a indenização por ofensas graves cometidas pelo empregador deverá ser de no máximo 50 vezes o último salário contratual do trabalhador. Será obrigatório ainda especificar os valores pedidos nas ações na petição inicial.

Termo de quitação

Será facultado a empregados e empregadores firmar o chamado termo de quitação anual de obrigações trabalhistas perante o sindicato da categoria. No termo serão discriminadas as obrigações cumpridas mensalmente tanto pelo empregado quanto pelo empregador.

Caso o empregado queira questionar algo na Justiça depois, terá de provar as irregularidades alegadas na ação, com documentos e testemunhas.

Terceirização

Haverá uma quarentena de 18 meses que impede que a empresa demita o trabalhador efetivo para recontratá-lo como terceirizado. O terceirizado deverá ter as mesmas condições de trabalho dos funcionários da empresa-mãe, como atendimento em ambulatório, alimentação em refeitório, segurança, transporte, capacitação e qualidade de equipamentos.

Autônomos

A nova lei prevê que as empresas poderão contratar autônomos e, ainda que haja relação de exclusividade e continuidade, não será considerado vínculo empregatício.

Gestantes

As gestantes e lactantes poderão trabalhar em atividades de grau mínimo e médio de insalubridade, a não ser que apresentem atestado emitido por médico de confiança que recomende o afastamento delas durante a gestação ou lactação.

Validade das normas coletivas

Os sindicatos e as empresas poderão definir os prazos de validade dos acordos e convenções coletivas, bem como a manutenção ou não dos direitos ali previstos quando expirados os períodos de vigência. E, em caso de expiração da validade, novas negociações terão de ser feitas, pois o que havia sido estabelecido em convenções ou acordos perde a validade imediatamente.

Plano de Demissão Voluntária

O trabalhador que aderir ao plano de demissão voluntária (PDV) dará quitação plena e irrevogável dos direitos referentes à relação empregatícia, ou seja, não poderá pedir na Justiça do Trabalho os possíveis direitos que perceba depois que foram violados.

Fonte: G1

Ajudante de Eletricista;

- Consultor de Vendas;

Costureira de Máquinas Industriais;

Empacotador, a Mão (PCD);

Manobrista de Caminhão;

Mecânico de Autos;

- Operador de Caixa (PCD);

- Operador de Caldeira;

- Preparador Físico (ESTÁGIO);

Torneiro Mecânico;

Técnico de Apoio ao Usuário de Informática (HELPDESK);

- Técnico de Enfermagem.


Agência do Trabalhador de Rolândia

Avenida Expedicionários, 604 - Telefone: 3255-1118
Horário de atendimento das 08h as 14h.

Localização

Rua: Alfredo Moreira Filho
N°: 362
CEP: 86600-003
Rolândia - PR

Mapa

O Jornal

Manchete do Povo - Mais de 3 mil exemplares todos os sábados em mais de 140 pontos da cidade.

Contato

Telefone: (43) 3016 0201

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Fale conosco

News Letter

Receba nossas novidades por e-mail

logo-manchete-do-povo-rodape