Torcedor preso por ato racista em partida responde em liberdade

Na noite do dia 14 o Rolândia Esporte Clube (REC) enfrentou o Atlético Clube Paranavaí (ACP) em mais uma rodada da Segunda Divisão do Campeonato Paranaense. O jogo aconteceu no Estádio Dr. Waldemiro Wagner, na casa do Paranavaí que obteve a vitória, porém a partida ficou marcada negativamente pela prisão de um torcedor do ACP, que fez comentários racistas contra um dos jogadores do REC.

O arbitro da partida, Cleber de Jesus Ausec Ludwing, foi informado durante o jogo que o lateral-direito do REC Weslen Aparecido Mendes dos Reis foi chamado de macaco e haitiano por um torcedor de 57 anos que estava nas arquibancadas assistindo a partida.

Ao final da partida, consultei o Assistente nº 2, Marcos Aparecido Roberto que identificou o torcedor e assim sendo comunicamos a equipe da Polícia Militar que foi atrás do mesmo tomando as devidas providencias, declarou o arbitro.

De acordo com a Polícia Militar, no final da partida o jogador procurou as autoridades e relatou que o homem o ofendeu varias vezes durante o jogo. Os agentes localizaram o autor do crime e o conduziram para a delegacia. O torcedor que não teve o nome divulgado foi preso pelo crime de Injuria qualificada.

O jogador do Rolândia disse que viu o torcedor gritando para ele algumas palavras como: macaco e haitiano. Outro colega de time também confirmou isso, ressalta o delegado Vagner Malaquias.

Segundo o site Futebol Interior, o homem foi liberado após pagar a fiança no valor de um salario mínimo. O delegado informou que a Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o caso e ele irá responder em liberdade, o prazo para a conclusão das investigações é de 30 dias. Racismo é crime e pode render de um a três anos de prisão, porem o mais lamentável é ver que ainda muitos hoje nutrem esse ódio irracional.

Rafael de Lima Rodrigues 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.