Em Rolândia, Dr. Ludovico suspende prazo para réus da operação PATROCÍNIO apresentarem defesa

O juiz da Vara Criminal de Rolândia, Alberto José Ludovico, suspendeu os prazos para que o prefeito afastado, Luiz Francisconi Neto (PSDB), e os demais réus investigados na operação PATROCÍNIO apresentassem suas defesas. O juiz também determinou ao Ministério Público que apresentasse alguns documentos que estão faltando no processo, como notas fiscais que estariam com problemas de compreensão.

A decisão do juiz de Rolândia se deu após o desembargador, Luís Carlos Xavier, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) aceitar o pedido da defesa de Francisconi. Xavier já havia deixado de homologar os acordos de colaboração premiada de dois ex-secretários municipais e um empresário de Rolândia por entender que cabe ao magistrado definir sobre a quantidade e a pena que poderá ser aplicada aos réus, e não à promotoria. Ele pede para que o MP faça as adequações.

 

A Operação PATROCÍNIO apura supostos crimes de propina na prefeitura de Rolândia, fraude em licitação e alteração de contratos com empresas prestadoras de serviço. O prefeito está afastado desde o dia 10 de janeiro quando foi deflagrada a operação pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) e GEPATRIA (Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.