Novas contratações de Francisconi gera polêmica

De volta ao cargo de chefe do executivo desde segunda (18), o prefeito Luiz Francisconi Neto (PSDB), nomeou algumas pessoas para funções essenciais ao bom andamento do serviço público.

Como Secretário de Governo está agora o ex-vereador, Waldemar Moraes de Almeida, que atende também interinamente pela chefia de gabinete. A secretaria municipal de Serviços Públicos fica a cargo do servidor, Marcos Cezar Santucci.

Mas a nomeação que começa a ganhar notoriedade nas mídias sociais e ruas da cidade é a do novo secretário de Infraestrutura, Odivaldo Moreno Alves. A objeção nos grupos de WhatsApp e em postagens no Facebook se dá pelo fato dele ser tio do vereador Irineu de Paula (PSDB), pois Irineu presidiu a CP (Comissão Processante), que ao final de toda a investigação concluiu através do relator, pela cassação do prefeito devido aos indícios de suposta improbidade administrativa.

Os questionamentos acontecem porque, apesar de assinar a conclusão do relator que pedia a cassação, na hora de votar Irineu se absteve alegando questão de ordem do partido, e o prefeito acabou absolvido por um voto.

Em entrevista, Irineu garante que a nomeação de seu tio não foi indicação sua e nada teve a ver com o seu posicionamento do dia da votação. Ele explica que sequer tinha conhecimento que Moreno seria convidado pelo Francisconi. “Inclusive, desde o início da CP no ano passado, que eu não falo com o prefeito”, ressalta.

Continua depois do anúncio

 

O vereador ainda revela que o secretário de serviços públicos, Marcos Cezar Santucci é seu primo e que o ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Dario Campiolo também é seu parente, e nem por isso teve algum tipo de influência nestas contratações. Ele enfatiza que todos sabem que sua família é bem grande e conhecida na cidade e as nomeações nunca tiveram relação alguma com o fato dele ser, ou não, vereador.

O secretário de Infraestrutura, Odivaldo Moreno, atendeu a reportagem do MANCHETE DO POVO e esclareceu que sua ligação com o prefeito vem de bem antes de julho do ano passado.  Ele relata que trabalha com o prefeito de Londrina, Antônio Belinati, e implantou um sistema de transparência naquela cidade que tornou Londrina um dos municípios melhor ranqueado neste quesito.

Entre outras vantagens, a tecnologia tem como principal objetivo gerar economia de recursos públicos através de avaliações técnicas e alinhadas com o Tribunal de Contas do Estado, na contratação de empresas e serviços. “Como o Francisconi é amigo de faculdade do Marcelo Belinati, ele pediu para que eu viesse para Rolândia para implantar esse sistema também na cidade”, ressalta.

Moreno adiantou que o prefeito elaborou uma nota oficial que será disponibilizada para a imprensa explicando como se deu todo esse processo de nomeação dele e qual o seu objetivo em Rolândia. Porém até o fechamento desta publicação a reportagem não teve acesso à referida nota.

Em contato com a prefeitura por telefone a reportagem não foi atendida e pelo WhatsApp do prefeito as mensagens enviadas são destacadas como não entregues.

Continua depois do anúncio

 

Por fim Moreno destaca suas atribuições como rolandense e ex-secretário de indústria e comércio de Rolândia. “Como secretário entre os anos de 1996 a 2000 trouxe para Rolândia o Parque industrial Roland, a incubadora industrial e várias outras indústrias”, aponta.

Ele garante não ter partido político e que sua intenção aqui é trabalhar de forma técnica para tentar fazer parte da solução de alguns dos vários problemas que Rolândia enfrenta.

ATUALIZAÇÃO

Após publicada está matéria, a reportagem teve acesso a uma imagem da nota ofiial sobre o assunto:

 

 

Confira abaixo as publicações em diário oficial com os nomes dos demais contratados e seus referidos cargos:

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.