Vereadores são acusados de indicar cargos a terceiros para evitar Processo de Cassação

Nessa terça (17), às 14h15, ocorrerá uma votação para decidir se haverá uma abertura na CP (Comissão Processante) contra os vereadores londrinenses, Rony Alves (PTB) e Mário Takahashi (PV). Pela manhã, quatro vereadores da cidade de Londrina seriam ouvidos pelo promotor de justiça, Renato de Lima Castro, que teriam indicado, ocupantes de cargo em Londrina, fato ocorrido no último mês.

Os supostos vereadores beneficiados com os tais cargos seriam, João Martins, Jairo Tanamuta, Padre Roque e o suplente Emanuel Gomes. As indicações foram direcionadas em cargos na CMTU (Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização), Secretária de Agricultura, e até assessoria de políticas para mulheres, este último com indicação de Emanuel Gomes, privilegiando sua esposa.

Na manhã da última segunda (16), houve uma reunião entre o movimento “Por Amor a Londrina” que busca combater a corrupção e injustiça na cidade, e o delegado do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado). O movimento levou à tona o esquema para a não abertura da CP contra os vereadores.

Segundo o site Tarobá News, os vereadores afastados Mario Takahashi e Rony Alves são acusados de quebra de decoro parlamentar devido à suspeita de envolvimento no esquema de propina para alteração de zoneamento na cidade, descoberto pelo GAECO por meio da Operação ZR3 (Alves e Takahashi são réus no processo).

A Comissão Processante pode levar até 90 dias, desde a instalação da comissão até o julgamento em Plenário. Para que a CP possa ser aberta serão necessários 13 votos a favor da abertura.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.