Que eles prestem contas

Esse é o resultado de não valorizar os verdadeiros parceiros da Oktoberfest de Rolândia…#devolvaafestaparaosalemaes

Quero saber agora da prestação de contas!!!!

A prefeitura até que ajudou um pouco com a estrutura, banheiros, mas se não fossem os grupos folclóricos, o pessoal do chopp em metro, a equipe da Dona Ada no restaurante e algumas das poucas pessoas que ainda resistem, essa festa já teria acabado de vez. O que não seria de todo um mal, já que gastar dinheiro público em coisa ruim não é um exemplo de boa administração.

Quem assumiu não tem a mínima condição de tocar um evento desse porte, e ainda dá ouvidos para pessoas que fazem intrigas, pouco se importando com o que é verdade.

Ano passado escrevi nesta coluna um texto afirmando que, se não fossem os grupos, o chopp em metro, a Dona Ada, a banda Meninos de Ouro, a Oktober, por melhor que fosse não passaria de uma excelente quermesse. (Nada contra quermesses, até gosto)

Bastou isso para que um mexeriqueiro metido a repórter calça curta, sem formação profissional na área fizesse intriga com a diretoria. Eis que no mesmo dia os dois diretores da festa viraram as costas para mim e me isolaram. Então eu pensei que talvez eles não soubessem interpretar texto, mas depois descobri que foi mesmo intriga da Maria janeleira.

Eu trabalho na Oktober desde meus 16 anos de idade filmando e fotografando. Com o jornal sempre dei muito mais que recebi. Nos últimos três anos fizemos as edições especiais do Manchete do Povo sem cobrar um centavo.

E sabe o que eles fizeram esse ano? Pagaram mídia de fora e deram exclusividade para a tal mexiriqueira. Taí o resultado, divulgação zero.

Só para você ter uma ideia vou passar algumas situações comentadas nos bastidores. Ano passado, no concurso dos lenhadores o organizador teve que tirar dinheiro do bolso, e por essas o outras, esse ano não teve o concurso.

No chopp em metro, mal deram o chopp para o concurso, a rainha da festa é uma menina de fora da cidade que ganhou com ares de dúvidas já que a organizadora do desfile também era de fora e… (Melhor não me aprofundar muito).

Os grupos folclóricos não recebem o devido respeito e reconhecimento, e assim vai caminhando a nossa Oktober, uma festa que é nossa e não de meia dúzia que se acham os donos da cocada.

Há três anos, quando esta diretoria assumiu a festa muitos criticaram, mas eu saí em defesa, pois ele foi o único que colou o CNPJ na roda. Porém se esqueceu que a festa se faz junto com a comunidade, e o rei cresceu na barriga.

Devemos reconhecer o trabalho de quem se empenhou, mas a grande verdade é que ano que vem a comunidade alemã, os grupos, e as pessoas que realmente entendem da tradição devem requerer formalmente a festa de volta.

Para quem não sabe, a Oktoberfest de Rolândia foi declarada patrimônio cultural da cidade, portanto pertence ao município e não pode mais ser privatizada para uma instituição. O contrato de concessão para essa diretoria tinha três anos de validade e esse ano foi o último. Então o que deve acontecer é… ou a prefeitura assume, ou passa para uma comissão que sabe o que fazer, ou então para de uma vez. O que não dá mais é ficar gastando dinheiro público para inflar o ego de poucos.

A MaiFest Rolândia que teve a sua primeira edição ano passado já começou passando anos luz a Oktober. Tanto que a grande maioria do que foi feito esse ano foi tirado de exemplo da MaiFest Rolândia do ano passado. O Rotkappen Rolândia deu um show de organização e um banho de cultura. Com certeza essa sim é uma festa que representa a cultura em nossa cidade feita por quem é apaixonado por Rolândia.

A quem diga que a diretoria deveria ser composta novamente pelo Lions, Maçonaria, Rotary, Acir e outras instituições sérias. Eu também acho que seria bom, mas sei que eles não querem mais. Estas instituições não querem mais ter os seus nomes relacionados a uma marca falida.

Para se ter uma ideia, em apenas um evento que qualquer um destes clubes de serviço fazem em apenas um dia, como na constelada do Rotary ou o Almoço Alemão do Lion, rende mais dinheiro para obras sociais do que 10 dias de Oktober. Sem usar recursos públicos para isso, e após o evento ainda prestam contas para quem quiser saber, pois não tem o que esconder.

Talvez a solução seria devolver para a igreja Luterana, mas sei que eles também não querem mais.

O que deve ser cobrado agora é a prestação de contas da Oktoberfest, pois teve ajuda da prefeitura. Foi gasto dinheiro público e por menor que seja deve ser prestado conta.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.