Sempre com o pires na mão e a cara de pau

Já na primeira edição desde jornal, lançado em 16 de julho de 2011 uma das matérias de capa era “S.O.S. São Rafael, hospital está em campanha para levantar recursos e pede apoio da sociedade civil organizada”

Já há quatro anos se sabia da situação calamitosa do único hospital de Rolândia, porém não se podia tocar nos intocáveis administradores que trancavam à 7 chaves as contas da instituição, mas pediam para a população ajudar.

Por outro lado a prefeitura continuava fazendo a boa e velha politicagem eleitoreira. Repassando funcionários terceirizados do município contratados e pagos por fora pelo hospital, para livrar a administração da Lei de Responsabilidade Fiscal e assim ter mais espaço para colocar na prefeitura os cabos eleitorais e apadrinhados do REI.

Ainda um agravante é o que acontece até hoje, a inoperância e incapacidade dos postos de saúde absorverem a demanda no atendimento básico que acaba sobrecarregando o hospital e elevando as despesas.

Eis o que restam: Dívidas trabalhistas, estrutura desgastada, funcionários e médicos sem receber, postos de saúde sucateados e a prefeitura agora, tendo obrigatoriamente que assumir a instituição com quase 15 milhões em dívidas, que aliás não é mais nada que a sua  obrigação.

Uma soma de irresponsabilidade, despreparo, arrogância, prepotência, politicagem, descaso e mais um monte de adjetivo que não posso falar para não ser processado. Tanto do poder público quanto da administração do hospital, como dos membros da Associação Beneficente São Rafael que foram complacentes e omissos ao permitirem que incompetentes permanecessem na gerência da instituição.

Agora no limite, perto de falir, eles largam o “OSSO” e assumem a sua incapacidade deixando para que de fato a sociedade civil organizada, órgãos públicos e políticos encurralados possam tentar reanimar um já moribundo hospital. Tomara que dê tempo!

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.