Água invade casa de morador que pede limpeza de bueiro desde 2016

Júlio mostra o pedido para a limpeza do bueiro protocolado em 16 de junho de 2016 e relata que já tem na prefeitura um segundo pedido feito em 2017 e ao tentar fazer um terceiro a atendente disse que não precisava já que se tratava de um mesmo objeto e o questionou perguntando o que tanto ele joga dentro do bueiro para entupir assim.

Indignado o morador do Jd. Asteca procurou a redação do jornal MANCHETE DO POVO com fotos e vídeos da casa e também da rua José Fernandes, onde mora, bem deteriorada.

Ele destaca que não joga nada no bueiro e que o entupimento é causado pelas pedras e piche jogados pela própria prefeitura para os serviços de tapa buraco na rua que permanece toda danificada. “Abrindo a pampa ainda é possível ver que a manilha está toda rachada com uma grande infiltração e a qualquer hora minha calçada pode vir desmoronar”, alerta Júlio.

ASSISTA

 

DESCASO

AO VIVO Água invade casa de morador que pede limpeza de bueiro desde 2016

Posted by Manchete do Povo on Monday, January 14, 2019

 

Ele ainda conta que já fez a reforma da calçada uma vez e colocou mais uma grade encima da entrada do bueiro, mas de nada adiantou, pois toda vez que chove o bueiro transborda, o asfalto quebra e acaba estragando novamente a sua calçada.

A redação fez contato com a secretaria de infraestrutura, que está sem secretário e quem nos atendeu foi o diretor Marcos Santucci.

Ele explica que o problema está na galeria que está entupida e lembra que a prefeitura adquiriu um caminhão com equipamento que realiza esse trabalho, porém o veículo ainda está sem o emplacamento e por isso não pode transitar. “Para emplacá-lo ainda é preciso esperar a abertura do orçamento de 2019”, afirma.

Santucci ainda revela que a secretaria precisa de mais funcionários para dar conta de todas as demandas relacionadas a bueiros, roçagem pavimentação entre outros diversos serviços. “Temos hoje dois servidores que cuidam de limpeza de bueiro, para uma cidade do tamanho de Rolândia não significa nada (…) em todas as áreas estamos deficiente de material humano”, garante.

O diretor fala da necessidade de o município diminuir o índice para poder contratar mais pessoas.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.