Manifestantes paralisam a BR 369 em Rolândia

 

IMG 8004 copyCom uma fotografia nas mãos e os olhos cheios de lágrimas a senhora, Ardimira Soares lembra do acidente que tirou a vida de sua filha, Leda Cristina Ferreira de Souza, 31 anos, há seis anos neste mesmo cruzamento. “Mais famílias sofrendo e mães chorando, mais filhos sem mãe desamparados (…) Como mão eu peço uma iniciativa das autoridades para que façam alguma coisa (…) Quantas mães vão ter choras e quantas crianças terão que ficar órfãos para que alguma providência seja tomada?”, desabafa emocionada.

Um acidente como este aconteceu na última quarta feira (15/06/16) e vitimou, Cristiane de Souza Nunes, 32 anos, dona de casa que acabara de deixar o filho de oito anos na escola. Com este, foram mais de seis mortes por atropelamento registradas desde 2010  no cruzamento da Avenida Presidente Getúlio Vargas (perímetro urbano da BR-369) com a Avenida Francisco Serpeloni (ao lado da Igreja da Ressurreição).

Organizado pelo popular, Cleber Oliveira Zambianchi o manifesto tem como objetivo chamar a atenção das autoridades para o perigo que representa aquele

IMG 8017 copy

 cruzamento.

O Inspetor da Polícia Rodoviária do Paraná, Junior Cezar Cavalcante ressalta que o manifesto foi ordeiro e pacífico. Ele com sua experiência trabalhando nas vias do estado alerta concorda que o local é perigoso e alguma solução deve ser tomada.

O vereador João Ardigo esteve no manifesto e relatou que na câmara de vereadores existem mais de 70 requerimentos pedindo as mais variadas solicitação ao Estado como a construção de passarela, rotatória entre outros pedidos. Segundo o João os documentos acumulam desde 2010 e foram feitos por diversos vereadores que passaram pelas gestões anteriores e também a atual.

ENTENDA O PROBLEMA NA MATÉRIA Mais uma vítima do descaso no cruzamento da “Ressurreição”

20160618 131145 copy20160618 131253 copyIMG 7996 copyIMG 8060 copy

 

ASSISTA

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.