Muito obrigado e mais nada que a obrigação

Muito obrigado e mais nada que a obrigação

 

 Aos 15 anos de idade eu trabalhava com meu avô na serraria carregando e descarregando caminhão, no pé de serra e serviços gerais. Quando fazia algo diferente e me vangloriava o velho dizia Não fez mais nada que a obrigação.

Certo ele, já que ganhava pra isso e deveria mesmo me dedicar ao máximo para cumprir com minhas obrigações.

Nestas duas semanas que se passaram atendi alguns pedidos de populares em relação a vazamento de esgoto, mato alto, bueiro entupido e infestação de caramujos.

Fiz as reivindicações diretamente para as pessoas responsáveis e algumas, na medida do possível foram prontamente atendidas, como o corte do mato ao lado da Casa Abrigo e a troca da tubulação na Rua Paulo Guimarães. Quero agradecer a prefeitura e também a Sanepar, porém…

Vale a máxima ensinada pelo meu saudoso avô. Não fizeram mais nada que a obrigação, e ressalto aqui que continuarei cobrando para que se resolva os problemas que ainda estão na pauta da população como é o caso escabroso da invasão dos caramujos gigantes que colocam em risco a vida de adultos e crianças.

E isso vale também pra mim, que não fiz mais nada que minha obrigação, pois como veículo de comunicação devo ter relevância social e assim atender a população sempre que solicitado.

Como disse o senhor Sidiney na matéria do esgoto: Vamos trabalhar gente.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.