O perigo do tártaro nos cães

O tártaro em cães nada mais é que uma placa de bactérias que surge pelo acúmulo de restos de comida nos dentes do cão e que não é retirada corretamente. O tártaro – que também é conhecido como cálculo dentário – atinge a maioria dos cães e pode ser evitado e tratado para preservar a saúde da boca de nossos cães.

Como saber se meu cão está com tártaro?

Há 4 principais sinais que você pode analisar apenas abrindo a boca do seu cachorro para ver se há tártaro em seus dentes.

  1. Mau hálito/halitose: esse é um dos principais sinais de um cachorro com acúmulo de tártaro nos dentes. Sabe quando o seu cachorro tá com aquele bafo? Esse é o primeiro sinal de tártaro. Provavelmente ele tem muito resto de comida preso entre os dentes e isso está se decompondo lá e trazendo forte odor no seu hálito.
  2. Gengivite: a gengivite é uma inflamação das gengivas causada pelos dentes que tem tártaro. As presenças dos restos de comidas acumuladas fazem com que as bactérias se desenvolvam e se instalem ali causando uma inflamação. A gengivite é detectada quando a gengiva do seu cão está vermelha e muito inchada. Dependendo do estado da infecção ela pode até sangrar.
  3. Dentes amarelados: os dentes do cachorro que antes eram brancos vão se tornar amarelos. Algumas partes vão ficar mais amarelas que outras, isso é a placa do tártaro acoplada ao dente. Geralmente a gengiva que está perto desses dentes amarelados se encontra inflamada e com gengivite.
  4. Perda de dentes ou mobilidade: se o cachorro passar muito tempo com tártaro e sem o tratamento adequado, a gengivite aumenta e a inflamação também ocasionando a periodontite. Periodontite é a infecção dos tecidos que suportam os dentes. Isso pode fazer com que os dentes mudem de lugar ou que caiam.

Consequências do Tártaro

O tártaro pode causar a retração gengival e, além disso, pode ocasionar em perda óssea e perda dos dentes. Isso acontece por descuido e desconhecimento dos donos que somente irão levar ao consultório quando o caso já estiver mais avançado.

A doença pode causar ainda mau hálito, sendo este e a perda dos dentes os sintomas mais aparentes. No entanto, existem ainda outras consequências que afetam a saúde do pet de uma forma geral. As infecções geradas na gengiva, repleta de vasos sanguíneos, acabam sendo levadas por meio do sangue para os outros órgãos, podendo dessa forma debilitar o animal.

Quando afetam o sistema nervoso, as bactérias podem causar meningite; quando afetam o coração, podem causar endocardite; quando afetam as articulações, podem causar artrite; e quando afetam o pulmão, podem causar o desenvolvimento de doenças como bronquite e fibrose pulmonar, por exemplo. No entanto, não são apenas estes órgãos que podem ser afetados, mas sim todos eles.

Meu cão já está com tártaro, o que devo fazer?

Se o seu cão já apresenta sinais de tártaro o mais importante é que ele seja levado imediatamente para uma consulta com o seu veterinário. O tártaro é uma porta de entrada para outras doenças, que podem atingir rins, fígado e até mesmo o coração de nossos amigos caninos.

Como é o tratamento de tártaro em cães?

Além da escovação dos dentes, é importante que você traga o seu cão periodicamente À Vet Ville para que os nossos veterinários examinem as condições dos dentes do cão, realizando uma limpeza de tártaro no cão se for necessário. Esse procedimento é feito com o cão acordado ou levemente sedado, mas é um processo rápido e o cão volta no mesmo dia para casa.

 

Para cães que já apresentam um grau avançado de tártaro canino, os nossos especialistas realizam um tratamento periodontal no cão. Esse procedimento é mais demorado e trabalhoso, e precisa que o cão leve anestesia geral. Isso porque no tratamento o veterinário irá afastar as gengivas do cão para fazer a limpeza, pois é por ali que as bactérias entram no resto do corpo do cão, causando doenças como meningite, insuficiências renais e cardíacas, bronquite, artrite entre várias outras e, infelizmente, algumas dessas doenças não possuem cura.

 

Fonte: www.cachorrogato.com.br    www.tudosobrebichos.com

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.