Quem não usar máscara pode ser multado no Paraná

O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou, ontem, a lei 20.189/20 que torna obrigatório o uso de máscara em ambientes coletivos em todo o Paraná. O objetivo é reduzir os riscos de contágio do novo Coronavírus. Quem descumprir a legislação estará sujeito à multa.
O texto, proposto por deputados estaduais, determina que a população use máscaras de tecido em espaços abertos ao público ou de uso coletivo, como ruas, parques e praças, estabelecimentos comerciais, industriais e bancários, repartições públicas, assim como no transporte público de passageiros (ônibus, trens, aviões, taxis e aplicativos de transporte) e onde houver aglomeração de pessoas.
De acordo com o governador, o isolamento social é a melhor forma de prevenção, mas quem precisar sair de casa, a partir de agora, deverá usar máscara para ajudar a evitar a contaminação. “Nosso grande desafio é reduzir a proliferação do vírus”, explica.
Multa
A multa para quem descumprir a lei varia de uma até cinco Unidades Padrão Fiscal do Paraná (UPF/PR), para pessoas físicas, e de 20 a 100 Unidades Padrão Fiscal do Paraná (UPF/PR), para pessoas jurídicas. A unidade fiscal equivale hoje a R$ 106,60.
Em caso de reincidência os valores poderão ser dobrados. Os recursos das multas serão destinados às ações de combate à Covid-19. O governo estadual deverá editar decreto nos próximos dias regulamentando a forma de fiscalização.

Briga por causa de máscara acaba em morte na RMC

Josianne Ritz
Uma discussão por causa do uso de máscara para prevenção do coronavírus dentro do hipermercado Condor, na marginal da Rodovia do Xisto, em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, acabou com uma funcionária morta e um homem ferido. Segundo informações da Polícia Militar, um cliente quis entrar no supermercado sem a máscara, mas foi alertado por um funcionário, fiscal da loja, que não poderia.
Ele reagiu e um segurança da loja teve que intervir na situação. Cliente e segurança brigaram. Durante a briga, o segurança disparou dois tiros. Segundo informações do Condor, o cliente teria tentado pegar a arma do segurança. Um dos tiros acertou de raspão o cliente, mas o outro atingiu uma funcionária, de 25 anos, no pescoço. Ela morreu na hora.

Segundo o secretário se segurança do município, José Roberto Fortes Couceiro, o cliente, 58 anos, levou o tiro de raspão na barriga e foi atendido pelo Siate, com apoio do resgate aéreo e encaminhado ao Hospital do Trabalhador, em Curitiba, acompanhado por uma equipe da Guarda Municipal de Araucária. O vigilante e a arma foram encaminhados à delegacia do município. O caso será investigado pela Delegacia de Araucária.
Em nota enviada pela assessoria de imprensa, a rede de supermercados Condor lamentou o ocorrido e garantiu que está prestando todo o apoio e ajuda à família da funcionária morta.
A assessoria de Imprensa do Grupo Protege, responsável pela segurança do hipermercado Condor, encaminhou nota à redação do Bem Paraná, lamentando o ocorrido e afirmando que está colaborando com as investigações.

Publicação Original

 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.