Populares protestam contra a falta de água

O líder comunitário Cido Barbeiro explica que a falta de água é crônica no Cinco Conjuntos que hoje compreende aproximadamente 13 bairros com cerca de 12 mil habitantes. Ele ressalta que há 12 anos vem cobrando das autoridades e da Sanepar, porém nenhuma solução foi dada até hoje.
Nesta terça (11) os moradores desceram até a mina de água que fica às margens da represa conhecida como lago do São Fernando. Esta é a única opção que os munícipes têm para captar água nos dias de grande escassez.

 

Na manhã do mesmo dia a população impediu os funcionários da Sanepar de fazerem a medição dos relógios alegando que não é justo cobrar por um serviço que eles não recebem. A polícia foi chamada e manteve a ordem, porém Cido Barbeiro alerta que a população está cada vez mais revoltada e teme que atitudes mais drásticas possam ser tomadas como a promoção de um “quebra quebra” na Unidade Sanepar de Rolândia. “Sempre dialogamos com respeito com a diretoria da Sanepar, mas eu não posso responder pelas outras pessoas que não aguentam mais essa situação”, afirma.

 

Cleunicie de Oliveira Biaque mostra duas contas no valor de R$100,00 cada e questiona o valor afirmando que frequentemente flagra o relógio rodando mesmo sem água. “Nós pagamos pelo ar que passa na torneira”, dispara.

 

Os vereadores Alex Santana (Pros) e João Ardigo (PSD) estiveram no protesto e segundo Santana eles já estão em contato com a diretoria da Sanepar em busca de uma solução.
Estamos entrando em contato com a Sanepar. Mais informações a qualquer momento. 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.